quinta-feira, 29 de julho de 2010

BIOGRAFIA CAROLINA MARIA DE JESUS


Carolina Maria de Jesus nasceu a 14 de Março de 1914 em Sacramento -MG, cidade onde viveu sua infância e adolescência. Seus pais, provavelmente, migraram do Desemboque para Sacramento quando houve mudança da economia da extração de ouro para as atividades agropecuárias.
Quanto a sua escolaridade em Sacramento, estudou em um colégio espírita, que tinha um trabalho voltado às crianças pobres da cidade, através da ajuda de pessoas influentes. Carolina estudou pouco mais de dois anos. Toda sua educação formal na leitura e escrita é com base neste pouco tempo de estudos.
Mesmo diante todas as mazelas, perdas e discriminações que sofreu em Sacramento, por ser negra e pobre, Carolina revelou através de sua escritura a importância do testemunho, como meio de denúncia, da desigualdade social e do preconceito racial.
Sua obra mais conhecida, com tiragem inicial de dez mil exemplares esgotados na primeira semana, e traduzida em 13 idiomas nos últimos 35 anos é "Quarto de Despejo -Diário de uma favelada". Essa obra resgata e denuncía a realidade da favela do Canindé, em São Paulo, no início da "modernização" da cidade e do surgimento constante das periferias. Realidade cruel e perversa, até então pouco conhecida. Essa literatura documentária, pela narrativa feminina, em contestação, tal como foi conhecida e nomeada pelo jornalismo de denúncia dos anos 50-60, é considerada uma obra atual, pois a temática da conta de problemas existentes até hoje nas grandes cidades.

"Quarto de Despejo" inspirou diversas expressões artísticas como a letra do samba "Quarto de Despejo" de B. Lobo; como o texto em debate no livro "Eu te arrespondo Carolina" de Herculano Neves; como a adaptação teatral de Edy Lima; como o filme realizada pela Televisão Alemã, utilizando a própria Carolina de Jesus como protagonista do filme "Despertar de um sonho" (ainda inédito no Brasil); e, finalmente, a adaptação para a série "Caso Verdade" da Rede Globo de Televisão em 1983.
Carolina sempre foi muito combativa, por isso era mal vista pelos políticos de esquerda e direita quando começou a participar de eventos em função do sucesso de seu livro. Por não agradar a elite financeira e política da época com seu discurso, acabou caindo no ostracismo e viveu de forma bem humilde até os momentos finais de sua vida.
Carolina foi mãe de três filhos: João José de Jesus, José Carlos de Jesus e Vera Eunice de Jesus Lima. Faleceu em 13 de Fevereiro de 1977, com 62 anos.
A obra de Carolina Maria de Jesus é um referencial importante para os estudos culturais e literários, tanto no Brasil como no exterior e representa a nossa literatura periférica/marginal e afro-brasileira. Um exemplo de resistência, inteligência e capacidade que fica pra sempre na história da nossa cultura.



Bibliografia :

Quarto de Despejo 1960

Casa de Alvenaria 1961

Pedaços de Fome 1963

Provérbios 1963

Diário de Bitita 1982 (Póstumo).

15 comentários:

  1. essa mulhaer e batalhadora so pelo qe eu li parabens

    ResponderExcluir
  2. ela e uma mulher batalhadora,que luta pelo seus direitos como um ser humano qualquer...
    kkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você precisa ler antes de dar opinião sobre autores. Carolina Maria de Jesus NÃO É um ser humano qualquer.Ela tinha um "Q" à mais, por exemplo, que você.

      Excluir
  3. esto sirbe de mucho para los alunnos de algun colegio pero tanbien esta es una gran mujer de esfuersos

    ResponderExcluir
  4. Esse livro é tudo de bom, eu recomendo....

    ResponderExcluir
  5. gostei bastante da história dela
    bjs a todos.cristiane de cassia.
    OLINDA-PERNAMBUCO

    ResponderExcluir
  6. Exemplo de referência positiva, de contexto atualíssimo na sociedade brasileira.
    Sandra Viana - RJ

    ResponderExcluir
  7. Muitas pessoas julgam os outros só pela sua cor, mas isso não deveria acontecer... Respeito é bom e eu tenho certeza que todo mundo gosta.

    ResponderExcluir
  8. Adorei muito essa historia to muito contente pela historia dela ate me emocionei!!!!

    ResponderExcluir
  9. MARAVILHOSO. JÁ UTILIZEI PARTES DO LIVRO EM AULA DE PORTUGUES. FAZENDO COM QUE MEUS ALUNOS REESCREVECE ALGUMAS PASSAGENS CORRIGINDO OS ERROS. TAMBÉM SERVIU DE INSPIRAÇÃO HÁ MUITOS OUTROS PARA QUE ESCREVESSE SOBRE SEU COTIDIANO SEM MEDO.

    ResponderExcluir
  10. Cara essa mulher e demais

    ResponderExcluir
  11. Carolina Ma. de jesus é uma sumidade. Denuncia magistralmente esse sistema hipocrita onde governo e empresariado estao pouco ligando para os miseraveis, para as crianças que passam fome. Sua obra é universal, humana, lirica e realista ao mesmo tempo. Aqui na França dou sempre um fragmento aos meus estudantes, sejam eles europeus ou nao. Parrece incrivel que o filme paraz TV, alemao ,com a participaçao dela, continjue inédito no Brasil. Nossa! ela morreu em 1977! quanto teremos que esperar ainda?!!!!!!! Tenho um estudnte escrevendo uma tese sobre a cultura na favela; vai falar dela, obviamente. Sempre atual, Carolina foi um estandarte da voz dos mais pobres, de todos os favelados desse planeta. VIVA FICOU PARA SEMPRE COMO UM ORGULHO PARA O BRASIL; aCORDA BRASIL!
    roselis BATISTAR, REIMS, FRANça

    ResponderExcluir